Arteris Litoral Sul realiza desmonte de rochas necessários à construção do Contorno Viário nesta sexta-feira

Arteris Litoral Sul realiza desmonte de rochas necessários à construção do Contorno Viário nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira, 17 de janeiro de 2020, a Construtora Camargo Corrêa Infra, contratada da Arteris Litoral Sul para a execução das obras do Contorno Viário de Florianópolis, realizará, às 16h, a atividade de detonação de rochas no Km 220, nas proximidades do bairro São Sebastião. As propriedades particulares próximas à área serão evacuadas a partir das 15h, com o auxílio da equipe de segurança do trabalho e meio ambiente da construtora.

As atividades de detonação de rocha necessárias para a implantação do Contorno Viário de Florianópolis são realizadas desde março de 2016, e já movimentaram 415 milhões m³ de rocha até o momento.

Atenção comunidade! É proibido trafegar sem autorização nas pistas em construção do Contorno Viário de Florianópolis. Não há segurança adequada para usuários nesta fase de obras.

Quer saber mais?

Em caso de dúvidas sobre as detonações de rochas, a Arteris dispõe do número 0800 7251 771 (atendimento geral). Além disso, para saber mais sobre os resultados pode acompanhar as publicações neste espaço de notícias do site.

 

SÉRIE DE VÍDEOS DO COMPONENTE INDÍGENA DO CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS ESTÁ DISPONÍVEL NO YOUTUBE

Produção de noticiários e documentário foi realizada pelos próprios indígenas e faz parte de programa que abrange 10 aldeias vizinhas às obras da rodovia

CI-PBA TV ARANDUÁIndígenas de 10 comunidades que fazem parte do Componente Indígena do Plano Básico Ambiental (CI-PBA), programa integrante do processo de Licenciamento Ambiental do Contorno Viário de Florianópolis, produziram ao longo dos últimos dois anos oito vídeos em que são mostradas diversas temáticas relacionadas à cultura da comunidade indígena Guarani e as atividades relacionadas à construção da rodovia. Todas as produções estão disponíveis no link: https://www.youtube.com/channel/UCcgC9-_MrHr691jhzN3eGdw  .

Para a coordenadora de Meio Ambiente da Arteris Litoral Sul, Daniela Bussmann, a atividade de produção de vídeos considera a realidade dos indígenas da região e sua interação com o Contorno, além de promover uma multiplicação de conhecimento tanto nas aldeias como fora delas. “Tudo que é realizado junto aos integrantes do CI-PBA abrange as necessidades específicas dos povos indígenas, sempre levando até eles a composição da nova realidade existente com as obras da rodovia. Na série de vídeos não é diferente, há o reforço da cultura Guarani e o formato vídeo contribui para a disseminação de informações que ajudam a dar visibilidade para estes grupos”, ressalta Daniela.

Temas dos vídeos

  • A primeira produção fala sobre a construção da Casa de Reza nas comunidades Guarani.
  • O segundo episódio da série de vídeos fala sobre a Oficina de Fotografia com os monitores de comunicação (indígenas de cada aldeia que levam as informações).
  • A terceira produção mostra sobre o resgate de plantas, sementes, cipós e raízes de interesse para os Guarani nos locais onde houve supressão da vegetação.
  • O quarto vídeo explica sobre as campanhas periódicas de monitoramento da fauna na área das obras do Contorno.
  • O quinto episódio exibe a respeito dos mutirões de coleta e triagem de resíduos sólidos nas dez aldeias indígenas que participam do CI-PBA.
  • A sexta produção é sobre a visita dos representantes Guarani na Ilha do Campeche.
  • O sétimo vídeo conta sobre o processo de implementação de pequenos projetos de sistemas agroflorestais nas comunidades Guarani.
  • O oitavo vídeo mostra curiosidades e diferenças entre as escolas das aldeias participantes do CI-PBA.

* O CI-PBA do Contorno Viário é um programa de mitigação de impactos do empreendimento aprovado pelo IBAMA e conduzido com a participação da Funai e das lideranças Guarani. As dez aldeias que compõem o CI-PBA, são: Amâncio (Ygua Porã), Amaral (Mymba Roka), Cambirela, Canelinha (Tava’i), Itanhaém, Massiambu (Pira Rupa), M’Biguaçu (Yynn Morotchi Whera), Morro dos Cavalos (Itaty), Praia de fora 1 e Praia de Fora 2 (Ka’arã).

OBRAS DO CONTORNO ULTRAPASSAM CINCO MILHÕES DE HORAS-HOMEM SEM ACIDENTES DE TRABALHO

OBRAS DO CONTORNO ULTRAPASSAM CINCO MILHÕES DE HORAS-HOMEM SEM ACIDENTES DE TRABALHO

Controles rigorosos e cooperação de todos foi o que permitiu que a marca, considerada significativa em obras do tipo, fosse atingida

As obras do Contorno Viário de Florianópolis ultrapassaram na última semana a marca de cinco milhões de horas-homem sem acidentes de trabalho com afastamento, o que representa 940 dias ininterruptos. Para o engenheiro Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno, esse índice resulta, entre outros fatores, de um intenso e dedicado sistema de gestão de segurança tanto da Arteris como das contratadas. “A segurança dos colaboradores e usuários das rodovias é o nosso principal valor e, para alcançar essa expressiva marca, muito significativa em uma obra dessa envergadura, temos processos baseados em procedimentos e instruções rigorosas do nosso Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional, que têm como pilar fundamental o comprometimento das lideranças de campo. Podemos citar ainda a dedicação das equipes de segurança da Arteris e também das contratadas, sempre com o mesmo foco”, destaca Módolo.

Para celebrar e compartilhar o marco, além de reforçar as premissas de segurança, foi realizado um “diálogo diário de segurança (DDS)” especial reunindo os cerca de 1.300 colaboradores diretos do Contorno.

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina.

Com investimentos, até o momento, superiores a R$ 1 bilhão, o Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h em todo o percurso, seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes, mais de 20 passagens em desnível e um total de 50 quilômetros de extensão, dos quais 34 já estão em obras. Saiba mais em www.contornodeflorianópolis.com.br.

VIADUTO DO CONTORNO NA SC-407 É LIBERADO PARA TRÁFEGO

VIADUTO DO CONTORNO NA SC-407 É LIBERADO PARA TRÁFEGO

Dispositivo é parte das obras do Contorno Viário em Biguaçu e permite o prosseguimento de implantação das pistas da futura rodovia e alças de acesso

Desde o dia 12 de dezembro, motoristas trafegam com mais facilidade pela SC-407, rodovia estadual que liga Biguaçu a Antônio Carlos. Com a conclusão pela Arteris Litoral Sul de um viaduto integrante das obras do Contorno Viário de Florianópolis, o trânsito foi liberado para os usuários, encerrando o uso de desvio no local. Com a liberação do viaduto, a concessionária também pode levar adiante as obras das pistas do tronco da futura rodovia e as alças de acesso.  O novo viaduto tem infraestrutura de passagem de pedestres em passarela protegida e iluminação.

“Os usuários da SC-407 passam a usar o viaduto e nós continuaremos a trabalhar no restante do trevo, inclusive facilitando a logística de máquinas e equipamentos que trafegam localmente para seguirmos avançando nos trechos. Essa liberação é, sem dúvida, mais um momento importante da obra, já que o dispositivo de intersecção com a SC-407 será um dos seis trevos que possibilitarão acesso ao Contorno e irão permitir que os usuários da rodovia estadual, das estradas locais e também da BR-101 entrem no Contorno praticamente no meio de sua extensão total”, destaca o engenheiro Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno.

Este é o segundo viaduto do Contorno liberado, já que desde 2017 usuários da SC-281, em São José, também já cruzam por cima das obras do Contorno, que seguem em ritmo acelerado com cerca de 1300 trabalhadores em diversas frentes de trabalho.

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina.

Com investimentos, até o momento, superiores a R$ 1 bilhão, o Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h em todo o percurso, seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes, mais de 20 passagens em desnível e um total de 50 quilômetros de extensão, dos quais 34 já estão em obras. Saiba mais em www.contornodeflorianópolis.com.br.

 

MORADORES DO JARDIM ELDORADO CONHECEM AS OBRAS DO CONTORNO

MORADORES DO JARDIM ELDORADO CONHECEM AS OBRAS DO CONTORNO

Grupo da comunidade fez uma incursão detalhada nas obras com visita a várias frentes

As obras do Contorno Viário de Florianópolis receberam em novembro um grupo de moradores do bairro Jardim Eldorado, localizado em Palhoça, para uma visita detalhada. O grupo acompanhou uma apresentação no escritório antes de partir para percorrer o trecho e conferir as frentes em andamento. A iniciativa da visita foi do analista de sistemas Chaimom Antônio Silva, que depois de ler uma notícia sobre o Programa de Visitas às Obras do Contorno, lançado neste segundo semestre de 2019, entrou em contato com a concessionária e realizou o agendamento.

Chaimom explica que durante a visita foi traçado um panorama geral de todas as etapas da obra. “Fizemos um tour de carro, conhecemos trechos que ainda estão na fase de terraplanagem e outros que já estão sendo asfaltados, além dos locais onde serão construídos os túneis. O projeto é enorme”, pontuou.

Para os moradores da Palhoça, a expectativa é que o Contorno melhore a mobilidade na região. “Com o fluxo de caminhões que vem do Norte para o Sul diminuindo na BR-101, imaginamos que isso irá contribuir bastante para melhorar o trânsito”, avalia o analista de sistemas.

A comunidade pretender voltar à obra quando começar o processo para escavação de túneis e conferir o trabalho de perto.

Visitas às obras

As obras do Contorno podem ser visitadas por grupos de no mínimo 10 e no máximo 30 pessoas. Para saber mais, acesse a publicação http://www.contornodeflorianopolis.com.br/arteris-litoral-sul-abre-programa-de-visita-as-obras-do-contorno-viario-de-florianopolis/

TRABALHOS NOTURNOS GARANTEM PRODUTIVIDADE NAS OBRAS NO CONTORNO

TRABALHOS NOTURNOS GARANTEM PRODUTIVIDADE NAS OBRAS NO CONTORNO

Terraplenagem, aterro em rocha e construção de drenos são algumas das atividades que não param durante a noite. Obras atingiram este mês pico de mão de obra contratada

Com mais de 1.300 pessoas trabalhando na implantação do Contorno Viário de Florianópolis (saiba mais), um dos destaques das obras são os trabalhos noturnos desenvolvidos em alguns segmentos da futura rodovia. O trabalho noturno ocorre ao longo dos trechos Norte e Intermediário 2, em Biguaçu. A continuidade dos trabalhos durante a noite contribui com o aumento da produção e possibilita o cumprimento dos prazos, especialmente durante o período considerado chuvoso em que as atividades de terraplenagem são bastante afetadas.

O engenheiro Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno, explica que os trabalhos noturnos permitem uma otimização dos recursos mobilizados para a execução das obras melhorando a produtividade das atividades. “Por conta de questões climáticas, não é possível a realização de atividade noturna de terraplenagem, mas atuamos em pontos estratégicos com transporte e aplicação de material pétreo, transporte e lançamento de areia para drenos, gravação de geodrenos (atividades típicas em regiões de solos moles) e temos também equipes atuando na execução de pontes e viadutos e no transporte das vigas pré-fabricadas. No caso de transporte de insumos como rocha e areia, a atividade noturna permite que criemos estoques destes materiais para aplicação também durante o dia”, completa.

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina.

Com investimentos, até o momento, superiores a R$ 1 bilhão, o Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h em todo o percurso, seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes, mais de 20 passagens em desnível e um total de 50 quilômetros de extensão, dos quais 34 já estão em obras.

Confira o vídeo atualizado de andamento da obra em https://www.youtube.com/watch?v=-4Epufo3kvc

Saiba mais em http://www.contornodeflorianopolis.com.br/

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO DA USP VISITAM AS OBRAS DO CONTORNO

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO DA USP VISITAM AS OBRAS DO CONTORNO

Grupo de 25 alunos de especialização, mestrado e doutorado do programa de pós-graduação em engenharia de transportes fizeram uma incursão detalhada nas obras

As obras do Contorno Viário de Florianópolis receberam na última semana (29.10) um grupo de 25 alunos da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) para uma visita técnica detalhada. Além de estudantes de mestrado e doutorado, parte dos alunos são engenheiros do Ministério de Obras Públicas do Paraguai que, por meio de um convênio, estão cursando especialização na instituição. O programa de pós-graduação em engenharia de transportes da universidade paulista é um dos melhores do Brasil e a escolha pelo Contorno como roteiro de visitas foi em função da complexidade da obra.A visita, que teve duração de quatro horas, foi dividida em duas partes: uma teórica, com apresentação detalhada das técnicas de engenharia aplicadas na obra e também programas ambientais; e outra prática, com visita a campo, percorrendo os principais pontos do traçado. Para o doutorando Rosuel de Assis, a informatização ao longo do trecho foi um dos pontos mais interessantes da visita. “O sistema informatizado usado aqui permite deixar o escritório mais perto da obra. O tablet no local, com o engenheiro inserindo informações e o projeto sendo consultado a qualquer momento pela equipe permite otimização de processos”, avalia o engenheiro.

Para o professor doutor José Leomar Fernandes Junior, responsável pela coordenação da visita técnica, a disponibilidade da Arteris em interagir com o meio acadêmico, assim como a diversidade de obras foram os pontos altos. “Desde o primeiro contato, a Arteris se mostrou interessada em nos receber. Além disso, os alunos têm uma boa base teórica, mas precisam ter o contato com a prática. Aqui eles tiveram a oportunidade de presenciar as obras em um dia de chuva não prevista e, com isso, a importância de se planejar para este tipo de situação. Outro ponto forte foi a variação de tipos de obras, já que acompanhamos pontes, viadutos, projetos de túneis, alternativas de aterro de solos moles; e isso tudo em um trecho 50 quilômetros”, finaliza o professor.

Estudantes estrangeiros destacam dimensão da obra

Para a engenheira paraguaia Sandra Kallus, a visita agregou conhecimento técnico que será levado ao seu país de origem. “Temos solo similar e chuvas como aqui, por isso a parte que considerei mais importante é a técnica de como estabilizar o solo, que também é um problema nosso no Paraguai. Além disso, estamos pensando o futuro, retirar as rodovias das cidades é nosso objetivo, como o que está sendo feito aqui no Contorno”, pontua a engenheira.

A engenheira ambiental Mirna Barrios, que estuda o impacto ambiental em obras de infraestrutura, destacou o trabalho executado no projeto do Contorno para minimizar os impactos ao meio ambiente, o resgate e remanejamento de fauna e a gestão de riscos. “O trabalho feito aqui pode ser referência para nosso país. Nós não temos lá esse nível de implementação de detalhamento na área ambiental ainda, sendo tudo muito básico. O que vocês estão fazendo em gestão de riscos, proteção de fauna e flora poderá ser aplicado no Paraguai no futuro”, ressalta Mirna.

Já a grandeza da obra foi que o chamou a atenção do engenheiro paraguaio que faz especialização em pontes, Horácio Lezcano. “Hoje não temos uma obra dessa envergadura no Paraguai. As obras de arte especiais em implantação aqui têm muitos detalhes e pudemos aprender muito”, destaca Lezcano.

Visitas às obras

As obras do Contorno podem ser visitadas por grupos de no mínimo 10 e no máximo 30 pessoas, para saber mais, acesse a publicação http://www.contornodeflorianopolis.com.br/arteris-litoral-sul-abre-programa-de-visita-as-obras-do-contorno-viario-de-florianopolis/

 

TRANSPORTE DE VIGAS PARA O CONTORNO VIÁRIO COMEÇOU NESTA SEGUNDA-FEIRA (11)

TRANSPORTE DE VIGAS PARA O CONTORNO VIÁRIO COMEÇOU NESTA SEGUNDA-FEIRA (11)

Carretas levarão materiais com cerca de 30 metros até o canteiro de obras

Teve início às 4h da manhã de hoje (11.11) o transporte de mais de 200 vigas de concreto para as obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis. O comboio com quatro carretas (para transporte de quatro vigas) sai da Cassol, em Biguaçu-SC, no km 180 da pista norte da BR-101, percorre a rodovia no sentido norte (Curitiba) e faz o retorno na praça de pedágio de Porto Belo (km 157,4). Na sequência, o comboio segue no sentido sul (Palhoça) até o km 192 – no acesso para rodovia SC-407 em Biguaçu-SC – de onde segue viagem até o canteiro de obras. A estrada Geral dos Três Riachos também será uma via alternativa para trânsito deste ponto da BR-101 até as obras.

Elaborado com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o plano logístico prevê a saída de quatro caminhões por dia – sempre entre às 4h e 6h da madrugada, de segunda a sexta-feira. E a previsão é de que a operação prossiga até 20 de dezembro, com retomada em 14 de janeiro e continuidade até março de 2020- quando deve ser concluído o transporte das 210 vigas. As carretas trafegam em velocidade compatível com a via – e não devem gerar interferência relevante sobre o tráfego.

As vigas medem cerca de 30 metros e serão usadas na construção de pontes e viadutos do Contorno. As primeiras serão instaladas na ponte sobre o Rio Biguaçu. Nesta semana, as obras do Contorno atingiram o pico de trabalhadores – com 1.313 operários atuando em diversas frentes de trabalho simultâneas ao longo de 34 quilômetros em obras, que representam 70% do total do traçado de 50 quilômetros da rodovia.

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina.

Com investimentos, até o momento, superiores a R$ 1 bilhão, o Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h em todo o percurso, seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes, mais de 20 passagens em desnível e um total de 50 quilômetros de extensão, dos quais 34 já estão em obras. Saiba mais em www.contornodeflorianópolis.com.br

 

CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS ATINGE PICO DE MÃO DE OBRA

CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS ATINGE PICO DE MÃO DE OBRA

Mais de 1300 trabalhadores atuam em diversas frentes de trabalho ao longo de 34 quilômetros de traçado

As obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis atingiram neste mês de novembro o pico de mão de obra, com 1.313 operários atuando em diversas frentes de trabalho simultâneas ao longo de 34 quilômetros em obras, que representam 70% do total do traçado de 50 quilômetros da rodovia. “O Contorno é nossa prioridade absoluta. Estamos com esse recorde de trabalhadores, além de 250 equipamentos pesados nas diversas frentes de obras onde há autorizações e liberações necessárias. Seguimos com força total nas obras dos trechos Norte e Intermediário, em Biguaçu e São José, e aguardamos as aprovações necessárias para iniciarmos os túneis em Palhoça”, comenta o engenheiro Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno.

Os serviços de engenharia em execução envolvem pavimentação, geotecnia, terraplenagem, implantação de pontes, viadutos e obras de drenagem. Entre as obras em andamento, destaca-se o trevo da SC-407 (Biguaçu), uma das seis intersecções previstas. O viaduto deve ser liberado até o final deste ano.

O Contorno é hoje a maior obra de infraestrutura em andamento em Santa Catarina e uma das principais do Brasil. Ao todo, serão cerca de 50 quilômetros de rodovia, com 14 pontes, 20 passagens de nível, seis trevos e quatro túneis duplos. Quando concluída, a obra representará uma alternativa para o tráfego de longa distância, funcionando como um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h e desafogando o trânsito da rodovia BR-101 na região metropolitana de Florianópolis. A previsão de conclusão das obras é dezembro de 2022 e os investimentos já realizados no projeto ultrapassam R$ 1 bilhão.

Contorno Viário – o avanço da obra em números:

  • Terraplenagem: 3,9 milhões de m3 de aterro realizado
  • Implantação de geodrenos: 1,1 milhão de metros realizados
  • Desmonte e escavação de rochas: 520 mil m3 realizados
  • Fabricação de vigas pré-moldadas: 250 unidades fabricadas

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis é a principal obra da concessão da Arteris Litoral Sul e quando concluído terá o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101 na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina e gerando mais desenvolvimento para a região.

Confira o vídeo de andamento da obra em https://www.youtube.com/watch?v=-4Epufo3kvc

Saiba mais em http://www.contornodeflorianopolis.com.br/