ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO DA USP VISITAM AS OBRAS DO CONTORNO

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO DA USP VISITAM AS OBRAS DO CONTORNO

Grupo de 25 alunos de especialização, mestrado e doutorado do programa de pós-graduação em engenharia de transportes fizeram uma incursão detalhada nas obras

As obras do Contorno Viário de Florianópolis receberam na última semana (29.10) um grupo de 25 alunos da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) para uma visita técnica detalhada. Além de estudantes de mestrado e doutorado, parte dos alunos são engenheiros do Ministério de Obras Públicas do Paraguai que, por meio de um convênio, estão cursando especialização na instituição. O programa de pós-graduação em engenharia de transportes da universidade paulista é um dos melhores do Brasil e a escolha pelo Contorno como roteiro de visitas foi em função da complexidade da obra.A visita, que teve duração de quatro horas, foi dividida em duas partes: uma teórica, com apresentação detalhada das técnicas de engenharia aplicadas na obra e também programas ambientais; e outra prática, com visita a campo, percorrendo os principais pontos do traçado. Para o doutorando Rosuel de Assis, a informatização ao longo do trecho foi um dos pontos mais interessantes da visita. “O sistema informatizado usado aqui permite deixar o escritório mais perto da obra. O tablet no local, com o engenheiro inserindo informações e o projeto sendo consultado a qualquer momento pela equipe permite otimização de processos”, avalia o engenheiro.

Para o professor doutor José Leomar Fernandes Junior, responsável pela coordenação da visita técnica, a disponibilidade da Arteris em interagir com o meio acadêmico, assim como a diversidade de obras foram os pontos altos. “Desde o primeiro contato, a Arteris se mostrou interessada em nos receber. Além disso, os alunos têm uma boa base teórica, mas precisam ter o contato com a prática. Aqui eles tiveram a oportunidade de presenciar as obras em um dia de chuva não prevista e, com isso, a importância de se planejar para este tipo de situação. Outro ponto forte foi a variação de tipos de obras, já que acompanhamos pontes, viadutos, projetos de túneis, alternativas de aterro de solos moles; e isso tudo em um trecho 50 quilômetros”, finaliza o professor.

Estudantes estrangeiros destacam dimensão da obra

Para a engenheira paraguaia Sandra Kallus, a visita agregou conhecimento técnico que será levado ao seu país de origem. “Temos solo similar e chuvas como aqui, por isso a parte que considerei mais importante é a técnica de como estabilizar o solo, que também é um problema nosso no Paraguai. Além disso, estamos pensando o futuro, retirar as rodovias das cidades é nosso objetivo, como o que está sendo feito aqui no Contorno”, pontua a engenheira.

A engenheira ambiental Mirna Barrios, que estuda o impacto ambiental em obras de infraestrutura, destacou o trabalho executado no projeto do Contorno para minimizar os impactos ao meio ambiente, o resgate e remanejamento de fauna e a gestão de riscos. “O trabalho feito aqui pode ser referência para nosso país. Nós não temos lá esse nível de implementação de detalhamento na área ambiental ainda, sendo tudo muito básico. O que vocês estão fazendo em gestão de riscos, proteção de fauna e flora poderá ser aplicado no Paraguai no futuro”, ressalta Mirna.

Já a grandeza da obra foi que o chamou a atenção do engenheiro paraguaio que faz especialização em pontes, Horácio Lezcano. “Hoje não temos uma obra dessa envergadura no Paraguai. As obras de arte especiais em implantação aqui têm muitos detalhes e pudemos aprender muito”, destaca Lezcano.

Visitas às obras

As obras do Contorno podem ser visitadas por grupos de no mínimo 10 e no máximo 30 pessoas, para saber mais, acesse a publicação http://www.contornodeflorianopolis.com.br/arteris-litoral-sul-abre-programa-de-visita-as-obras-do-contorno-viario-de-florianopolis/

 

TRANSPORTE DE VIGAS PARA O CONTORNO VIÁRIO COMEÇOU NESTA SEGUNDA-FEIRA (11)

TRANSPORTE DE VIGAS PARA O CONTORNO VIÁRIO COMEÇOU NESTA SEGUNDA-FEIRA (11)

Carretas levarão materiais com cerca de 30 metros até o canteiro de obras

Teve início às 4h da manhã de hoje (11.11) o transporte de mais de 200 vigas de concreto para as obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis. O comboio com quatro carretas (para transporte de quatro vigas) sai da Cassol, em Biguaçu-SC, no km 180 da pista norte da BR-101, percorre a rodovia no sentido norte (Curitiba) e faz o retorno na praça de pedágio de Porto Belo (km 157,4). Na sequência, o comboio segue no sentido sul (Palhoça) até o km 192 – no acesso para rodovia SC-407 em Biguaçu-SC – de onde segue viagem até o canteiro de obras. A estrada Geral dos Três Riachos também será uma via alternativa para trânsito deste ponto da BR-101 até as obras.

Elaborado com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o plano logístico prevê a saída de quatro caminhões por dia – sempre entre às 4h e 6h da madrugada, de segunda a sexta-feira. E a previsão é de que a operação prossiga até 20 de dezembro, com retomada em 14 de janeiro e continuidade até março de 2020- quando deve ser concluído o transporte das 210 vigas. As carretas trafegam em velocidade compatível com a via – e não devem gerar interferência relevante sobre o tráfego.

As vigas medem cerca de 30 metros e serão usadas na construção de pontes e viadutos do Contorno. As primeiras serão instaladas na ponte sobre o Rio Biguaçu. Nesta semana, as obras do Contorno atingiram o pico de trabalhadores – com 1.313 operários atuando em diversas frentes de trabalho simultâneas ao longo de 34 quilômetros em obras, que representam 70% do total do traçado de 50 quilômetros da rodovia.

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina.

Com investimentos, até o momento, superiores a R$ 1 bilhão, o Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h em todo o percurso, seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes, mais de 20 passagens em desnível e um total de 50 quilômetros de extensão, dos quais 34 já estão em obras. Saiba mais em www.contornodeflorianópolis.com.br

 

CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS ATINGE PICO DE MÃO DE OBRA

CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS ATINGE PICO DE MÃO DE OBRA

Mais de 1300 trabalhadores atuam em diversas frentes de trabalho ao longo de 34 quilômetros de traçado

As obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis atingiram neste mês de novembro o pico de mão de obra, com 1.313 operários atuando em diversas frentes de trabalho simultâneas ao longo de 34 quilômetros em obras, que representam 70% do total do traçado de 50 quilômetros da rodovia. “O Contorno é nossa prioridade absoluta. Estamos com esse recorde de trabalhadores, além de 250 equipamentos pesados nas diversas frentes de obras onde há autorizações e liberações necessárias. Seguimos com força total nas obras dos trechos Norte e Intermediário, em Biguaçu e São José, e aguardamos as aprovações necessárias para iniciarmos os túneis em Palhoça”, comenta o engenheiro Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno.

Os serviços de engenharia em execução envolvem pavimentação, geotecnia, terraplenagem, implantação de pontes, viadutos e obras de drenagem. Entre as obras em andamento, destaca-se o trevo da SC-407 (Biguaçu), uma das seis intersecções previstas. O viaduto deve ser liberado até o final deste ano.

O Contorno é hoje a maior obra de infraestrutura em andamento em Santa Catarina e uma das principais do Brasil. Ao todo, serão cerca de 50 quilômetros de rodovia, com 14 pontes, 20 passagens de nível, seis trevos e quatro túneis duplos. Quando concluída, a obra representará uma alternativa para o tráfego de longa distância, funcionando como um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h e desafogando o trânsito da rodovia BR-101 na região metropolitana de Florianópolis. A previsão de conclusão das obras é dezembro de 2022 e os investimentos já realizados no projeto ultrapassam R$ 1 bilhão.

Contorno Viário – o avanço da obra em números:

  • Terraplenagem: 3,9 milhões de m3 de aterro realizado
  • Implantação de geodrenos: 1,1 milhão de metros realizados
  • Desmonte e escavação de rochas: 520 mil m3 realizados
  • Fabricação de vigas pré-moldadas: 250 unidades fabricadas

Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis é a principal obra da concessão da Arteris Litoral Sul e quando concluído terá o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101 na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem que a rodovia irá proporcionar uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística de Santa Catarina e gerando mais desenvolvimento para a região.

Confira o vídeo de andamento da obra em https://www.youtube.com/watch?v=-4Epufo3kvc

Saiba mais em http://www.contornodeflorianopolis.com.br/

ARTERIS APRESENTA ANDAMENTO DAS OBRAS DO CONTORNO PARA PREFEITOS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS

ARTERIS APRESENTA ANDAMENTO DAS OBRAS DO CONTORNO PARA PREFEITOS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS

Diretoria da concessionária participou na manhã desta sexta-feira (11) de encontro com prefeitos e lideranças da Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis (GRANFPOLIS)

 As obras do Contorno Viário de Florianópolis estiveram na pauta da assembleia de prefeitos da Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis (GRANFPOLIS), realizada na manhã da última sexta-feira (11.10). No encontro, os diretores da Arteris apresentaram ao longo de quase duas horas detalhes dos trechos em obras – distribuídos ao longo de 34 quilômetros -, pontos que aguardam aprovações de projetos e conclusão de desapropriações, estes últimos localizados especialmente no Trecho Sul, em Palhoça, além de características da futura rodovia e seus principais números. No final da apresentação, os prefeitos fizeram questionamentos e também discutiram outras obras para melhorar a mobilidade da região.

O prefeito de Biguaçu, Ramon Wollinger, destacou o avanço das obras desde a entrada da nova construtora e salientou que a população está ansiosa para o início da pavimentação asfáltica no trecho que passa pelo município. “Vemos o avanço das obras em Biguaçu e também os 950 trabalhadores que estão atuando no Contorno. Além disso, estamos com uma parceria positiva com a nova construtora, que está fazendo manutenção nas nossas estradas que são usadas como caminho de serviço da obra. A comunidade agora está ansiosa para ver a conclusão da terraplanagem e o início do asfalto”, ressalta o prefeito.

Durante o evento, os prefeitos foram informados que os serviços de engenharia nas obras concentram atividades de pavimentação, geotecnia, terraplenagem, implantação de pontes, viadutos e obras de drenagem. Entre as obras, o destaque atual é o trevo da SC-407 (Biguaçu), uma das seis intersecções do Contorno ao longo de 50 quilômetros, que terá o viaduto liberado até o fim deste ano. Ao todo, o Contorno terá 14 pontes, 20 passagens de nível, seis trevos e quatro túneis duplos, estes últimos com os projetos previstos para serem aprovados nos próximos meses.

TECNOLOGIA PARA ACELERAR A TERRAPLANAGEM

Além do andamento da obra, hoje com frentes simultâneas em 34 quilômetros localizadas nos trechos Intermediário 2 (entre São José e Biguaçu), Intermediário 3 (em São José), intermediário 4 (entre São José e Palhoça), Norte 2 N, Norte C e Norte B (todos em Biguaçu), o engenheiro Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno, apresentou a técnica de geotecnia usada para acelerar o processo de terraplanagem em solo mole, principal característica da região. “O traçado do Contorno Viário atravessa regiões com solos com baixa capacidade de suporte, com espessuras de até 18 metros. Para a aceleração de período de adensamento, que geralmente pode levar até dois anos em função da água presente no subsolo, utilizamos na obra os geodrenos e aplicação de sobrecarga, conseguindo reduzir o período de adensamento entre seis e nove meses”, destacou Módolo.

CONVITE PARA VISITAR AS OBRAS

O diretor de Operações Sul da Arteris, Antonio Cesar Ribas Sass, abriu a apresentação fazendo um convite aos prefeitos para irem conhecer as obras e possam checar in loco os avanços dos últimos meses, além de lembrar a complexidade do empreendimento. “O Contorno é uma das principais obras de infraestrutura do Brasil e é preciso conhecê-la para entender a dimensão de sua importância para região e nosso esforço na implantação de uma rodovia segura e de qualidade. Já investimos mais de R$ 1 bilhão e ainda investiremos muito mais e queremos que todos conheçam a obra, vejam que ela existe e avança em todo os pontos que podemos atuar. Por isso temos reiterado o convite para que os prefeitos e grupos da sociedade façam uma visita ao Contorno”, afirmou o diretor.

Além do Contorno, foi discutida na reunião a formação de um grupo de trabalho entre prefeitos e concessionária para avaliação de projetos que não estão no contrato de concessão e podem melhorar a mobilidade da Grande Florianópolis. Uma reunião técnica neste sentido foi agendada para o próximo dia 18 de outubro.

 

 

GRUPO VISITA CANTEIRO DE OBRAS DO CONTORNO VIÁRIO

GRUPO VISITA CANTEIRO DE OBRAS DO CONTORNO VIÁRIO

Participantes da visita estiveram no 4º Congresso Técnico-Científico de Engenharia Civil

Engenheiros, acadêmicos e comunidade visitaram na quarta-feira , 9 de outubro, as obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis, que atualmente contam com quase mil trabalhadores em  diversas frentes de trabalho. O grupo participou do 4º Congresso Técnico-Científico de Engenharia Civil, promovido pela Associação Catarinense de Engenheiros, e teve a visita técnica como uma das ações de encerramento do evento.

Para o engenheiro Roberto de Oliveira, Coordenador do Comitê Gestor para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis (COMDES) e um dos membros da comitiva que visitou o Contorno, “é fundamental conhecer a obra para entender o avanço tecnológico que está trazendo em termos de engenharia. O contorno vai transformar a região e notadamente há um avanço. Pudemos ver que a Arteris está buscando cada vez mais acelerar a obra”, destacou.

TRABALHADORES DAS OBRAS DO CONTORNO PARTICIPAM DE OFICINA SOBRE CULTURA E DIREITOS INDÍGENAS

TRABALHADORES DAS OBRAS DO CONTORNO PARTICIPAM DE OFICINA SOBRE CULTURA E DIREITOS INDÍGENAS

Atividade é focada no povo Guarani, sua proximidade com o empreendimento e o processo de licenciamento ambiental. Participantes foram orientados como devem se comportar em caso de contato com alguma aldeia 

Desde o início da construção do Contorno Rodoviário de Florianópolis, os trabalhadores da frente de obras, encarregados e engenheiros, participam de oficinas sobre cultura e direitos indígenas. A atividade, que aconteceu em setembro, faz parte do subprograma de Comunicação Social do Componente Indígena do Plano Básico Ambiental (CI-PBA) do empreendimento.

Nesses encontros, é apresentado um panorama atual sobre os indígenas do Brasil, dando ênfase ao povo Guarani e ao processo de Licenciamento Ambiental do Contorno. São destacados os conflitos e as pressões a que estão sujeitas as áreas indígenas existentes na área de influência das obras, bem como ressaltados os direitos indígenas. Também é ressaltado como os trabalhadores devem se comportar caso tenham que acessar alguma aldeia.

A atividade contou com a presença de uma liderança ou um monitor de Comunicação das comunidades indígenas integrantes do CI-PBA, que possibilita aos trabalhadores que façam perguntas sobre dúvidas ou curiosidades a respeito do modo de vida Guarani. Além disso, para auxiliar nas oficinas, são feitas dinâmicas, mostrados vídeos sobre a temática indígena e distribuído o livreto “Comunidades indígenas merecem respeito”, que foi elaborado junto aos monitores de Comunicação do PBA indígena.

ARTERIS LITORAL SUL ABRE PROGRAMA DE VISITA ÀS OBRAS DO CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS

ARTERIS LITORAL SUL ABRE PROGRAMA DE VISITA ÀS OBRAS DO CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS

Considerada a principal obra de infraestrutura em andamento em Santa Catarina, o Contorno passa a receber grupos para visitação em suas diversas frentes de trabalho

Com obras iniciadas em 34 quilômetros, do total de 50 que formarão a futura rodovia, o Contorno desperta curiosidade de diversos grupos, em especial professores e alunos de universidades catarinenses e também de comunidades vizinhas da obra. Para proporcionar conhecimento mais aprofundado sobre o empreendimento, suas características, fase de implantação, complexidade de engenharia e programas ambientais desenvolvidos, a Arteris Litoral Sul está abrindo o Programa de Visita às Obras do Contorno. Serão duas datas disponíveis mensalmente, com agendamento prévio e para grupos de no mínimo 10 pessoas e no máximo 30. Cada visita terá cerca de duas horas e meia de duração, incluindo uma apresentação inicial e visita a diversas frentes de trabalhos ao longo dos municípios de São José, Biguaçu e em breve Palhoça.

Para o superintendente de investimentos do Contorno Viário de Florianópolis, Marcelo Módolo, a oficialização da abertura do programa de visitas vai possibilitar uma interação maior com a sociedade e também a criação de um canal contínuo com os interessados em acompanhar a obra e as ações da concessionária. “Nós já realizamos diversas visitas desde o início das obras, conforme os grupos nos procuram, mas temos certeza que com a abertura do programa o interesse será ainda maior. As universidades geralmente são as mais interessadas, já que se trata de uma obra com características únicas: serão quatro túneis duplos, sete pontes e outras inúmeras obras de arte de engenharia. Sempre buscamos dar um atendimento personalizado, com um engenheiro à disposição e todas as dúvidas respondidas”, destaca o engenheiro.

Roteiro

A primeira parte da visita é formatada com uma apresentação detalhada sobre o projeto e o andamento das obras do Contorno, que hoje empregam cerca de 850 trabalhadores e têm 250 equipamentos pesados em uso nas diversas frentes. Durante a apresentação, são mostradas as técnicas de engenharia que estão sendo empregadas, mapas do traçado, principais obras, além de imagens aéreas que mostram a evolução da implantação. Na visita a campo, os grupos seguirão em diversas frentes, conforme o andamento da obra.

Visita ajuda na formação de estudantes

Recentemente, um grupo de estudantes de 7º e 8º períodos do curso de Engenharia Civil do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) visitou as obras. A experiência, segundo o professor Fabio Krueger, responsável pelas disciplinas de Projeto Geométrico e Implantação de Estradas e Pavimentações, é única. “Esse tipo de visita é muitíssimo importante para que os estudantes tenham contato prático com os ensinamentos obtidos em sala de aula e laboratórios. Houve muito interesse na quantidade de etapas e serviços que podem ser observadas durante o trecho do contorno, como escavação, aterro, compactação, estacas, pavimentação e nos futuros túneis.”, afirmou o professor.

Já para o professor Eduardo Alexandre Krüger, que leciona na disciplina Projeto Geométrico de Estradas e Transportes, na Univali de Itajaí, e levou cerca de 20 estudantes para uma visita na última semana de setembro, a magnitude da obra é um dos grandes destaques. “Não há uma oportunidade assim na região e o diferencial que só essa obra conota é enorme. É de uma magnitude sem tamanho, mas além de tudo, é possível observar os métodos construtivos e o cuidado na opção por técnicas e metodologias que possam fomentar o estado da arte no projeto e na construção de uma rodovia como esta”, afirma.

Serviço – COMO AGENDAR

  • Para visitar as obras é preciso formar um grupo de no mínimo 10 e no máximo 30 pessoas.
  • O agendamento deve ser feito exclusivamente por meio do e-mail ana.basane@arteris.com.br e será por ordem de disponibilidade de datas.
  • Serão abertas duas agendas por mês.
  • Com a agenda confirmada, os grupos serão recebidos no escritório do Contorno Viário de Florianópolis, localizado na Avenida Celso Joaquim da Silva, 151 – Sertão do Maruim – São José -CEP 88.122-040, onde ocorrerá a apresentação inicial e retirada dos equipamentos de proteção individual (colete e capacete – todos devem usar sapato fechado).
  • Importante: o transporte até a sede e também para circular dentro das obras – automóvel ônibus ou micro-ônibus – é de responsabilidade do grupo.
  • No caso de mau tempo, a atividade será reagendada.

 Sobre o Contorno

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística do Estado. Com investimentos, até o momento, superiores a R$ 1 bilhão, o Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso cuja velocidade operacional vai ser de 100 km/h em todo o percurso, com seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes e mais de 20 passagens em desnível.

ESTUDANTES DO IFSC VISITAM OBRAS DO CONTORNO

ESTUDANTES DO IFSC VISITAM OBRAS DO CONTORNO

Estudantes conheceram a obra e tiraram dúvidas com os engenheiros da Arteris Litoral Sul

Um grupo de 35 estudantes de 7º e 8º períodos do curso de Engenharia Civil do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) visitou as obras do Contorno Viário de Florianópolis no último mês de agosto. O grupo, coordenado pelo professor Fabio Krueger, responsável pelas disciplinas de Projeto Geométrico e Implantação de Estradas e Pavimentações da instituição, recebeu, ainda no escritório do Contorno em São José, uma apresentação completa sobre as obras e depois seguiu para a visita de campo, passando por diversos pontos da obra ao longo de São José e Biguaçu.

A experiência, segundo o professor Fabio Krueger foi única. “Esse tipo de visita é muitíssimo importante para que os estudantes tenham contato prático com os ensinamentos obtidos em sala de aula e laboratórios. Houve muito interesse na quantidade de distintas etapas e serviços que podem ser observadas durante o trecho do contorno, como escavação, aterro, compactação, estacas, pavimentação e nos futuros túneis. Além disso, os alunos ficaram bastante interessados nos serviços de cravação das estacas para construção das obras de arte e também nos cuidados sobre o controle de recalque dos aterros”, afirmou o professor.

CONTORNO TEM MAIS DE  500 TRABALHADORES NAS FRENTES DE TRABALHO

CONTORNO TEM MAIS DE 500 TRABALHADORES NAS FRENTES DE TRABALHO

As obras do Contorno Viário de Florianópolis estão avançando conforme o previsto e anunciado nos últimos encontros  realizados com entidades e imprensa.  Há menos de três meses – quando o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, esteve em Santa Catarina e uma nova construtora assumiu a obra – eram pouco mais 70 trabalhadores, hoje já são mais de 550 e até o final da próxima semana estão garantidos cerca de 650.

As obras estão com equipes em frentes simultâneas de trabalho nos trechos Norte B, C e 2N, em Biguaçu, e no Trecho Intermediário, em São José. A expectativa da concessionária agora é para o início das obras do Trecho Sul, em Palhoça, previsto para o final deste ano.

COMUNIDADES GUARANI DA GRANDE FLORIANÓPOLIS PARTICIPAM DE CONGRESSO DE SOCIOLOGIA NA UFSC

COMUNIDADES GUARANI DA GRANDE FLORIANÓPOLIS PARTICIPAM DE CONGRESSO DE SOCIOLOGIA NA UFSC

Participação indígena conta com exposição fotográfica e venda de artesanatos e ocorre no âmbito do processo de licenciamento ambiental do Contorno Rodoviário de Florianópolis

 Representantes das comunidades Guarani da Grande Florianópolis participam do 19º Congresso Brasileiro de Sociologia, entre os dias 09 a 12 de julho de 2019, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis. Os indígenas integram a programação do evento através da 4ª Mostra Fotográfica Aranduá, no hall do Centro de Eventos da universidade; e da venda de artesanatos, que ocorre no hall do Centro de Ciências da Educação (CED).

A Mostra Fotográfica Aranduá é composta por imagens produzidas por indígenas das dez comunidades Guarani localizadas nos municípios de Palhoça, Biguaçu e Canelinha, na Grande Florianópolis, e é resultado de uma oficina de fotografia. A exposição é um convite para passear um pouco pela cultura Guarani, quase sempre invisível aos olhos das sociedades urbanas contemporâneas. Aranduá significa conhecimento/sabedoria na língua Guarani e expressa  exatamente o que se objetiva repassar: o conhecimento sobre a presença desse povo que possui características únicas em sua organização social, cultura religião e língua, possibilitando o protagonismo dos Guarani como fotógrafos dos seus modos de vida.

 A produção de artesanato é algo central na vida do povo Guarani e representa a sabedoria, a arte, os costumes e a tradição. É produzido por homens e mulheres e ensinado desde a infância através do uso de uma grande variedade de material vegetal extraído da mata existente nessas comunidades. É uma forma de transmitir o conhecimento universal, espiritual e cosmológico. Nhanderu (Deus) ensinou o artesanato para o povo Guarani antecipando a perda de seu território e, consequentemente, as mudanças no modo de vida após o contato com o juruá (não-indígenas). Atualmente, a venda do artesanato é, talvez, uma das formas de troca com os juruá mais conhecidas e uma das principais fontes de renda para esses Guarani.

 A participação dos indígenas ocorre no âmbito do processo de licenciamento ambiental do Contorno Rodoviário de Florianópolis, como uma das medidas de compensação relativas aos impactos da obra – que é de responsabilidade da Arteris Litoral Sul. O processo de licenciamento ambiental é conduzido pelo IBAMA com a participação da Funai, junto dos programas socioambientais que compõem o Plano Básico Ambiental Indígena. 

Agende-se

O quê: 4ª Mostra Fotográfica Aranduá e venda de artesanatos Guarani, durante o 19º Congresso Brasileiro de Sociologia, na UFSC

Quando:  09 a 12 de julho de 2019

Onde: 4ª Mostra Fotográfica Aranduá – no hall central do Centro de Eventos da UFSC e Venda de artesanatos – no hall do Centro de Ciências da Educação (CED) da UFSC

Quanto: gratuito

Sobre o Contorno Viário de Florianópolis

O Contorno Viário de Florianópolis está sendo construído pela Arteris Litoral Sul com o objetivo de desviar o tráfego de longa distância da BR-101, na região de Florianópolis. Os estudos realizados preveem uma redução significativa na intensidade deste tráfego, melhorando a competitividade logística do Estado. O Contorno será uma rodovia classe zero, ou seja, um corredor expresso cuja velocidade operacional vai ser de 100 km/h em todo o percurso, com seis acessos por meio de trevos, quatro túneis duplos, sete pontes e mais de 20 passagens em desnível.

Saiba mais em www.contornodeflorianópolis.com.br

 

O empreendimento é de responsabilidade da Arteris Litoral Sul e o processo de licenciamento ambiental da obra é conduzido pelo IBAMA e pela Funai e os programas socioambientais que compõem o Plano Básico Ambiental Indígena são desenvolvidos pela MPB Engenharia.