Autopista Litoral Sul realiza 3º Campanha Despoluir na Obra Contorno Rodoviário de Florianópolis

Arteris
Autopista Litoral Sul realiza 3º Campanha Despoluir na Obra Contorno Rodoviário de Florianópolis

Ação previne poluição ambiental dos veículos que trabalham nas obras da nova rodovia. Todos os caminhões verificados foram aprovados.

Os veículos de carga que atuam na obra do Contorno Rodoviário de Florianópolis, no trecho de São José, passaram por um teste para verificar os níveis de opacidade da fumaça emitida – que mostra se os veículos estão poluindo o ar. A ação, que é realizada a cada quatro meses, foi feita por meio do Despoluir – Programa Ambiental do Transporte, da Confederação Nacional do Transporte e do Serviço Social do Transporte (Sest) / Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), em parceria com a Autopista Litoral Sul. Nas obras do Contorno em São José, durante três dias foram realizadas 41 aferições e todos os veículos foram aprovados.

O teste para verificar os níveis de emissão de fumaça é realizado pela Fetrancesc – Federação das Empresas de Transporte De Carga e Logística No Estado de Santa Catarina, que é responsável por executar o programa. Para Sérgio Machado, técnico do Despoluir, entre as vantagens do serviço destaca-se o alerta aos motoristas e empresas do transporte a respeito da real situação do nível de poluição de CO2 emitido pelos veículos movidos a diesel. “O teste é exigido por lei e dura cerca de cinco minutos. Além do benefício ambiental, podemos ter ideia de como está o consumo de combustível”, complementa.

A avaliação é feita com base nas normas do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que estabelecem os critérios e os procedimentos para medição da opacidade dos gases de escapamento para as diferentes categorias de veículos automotores, nacionais e importados.

 

Necessidade de Controle

A fumaça preta emitida pelos veículos a Diesel se constitui de partículas de fuligem, de diâmetro inferior a espessura de um fio de cabelo, que, não sendo retidas pelas defesas naturais do organismo, podem atingir as regiões mais profundas do pulmão. Estas partículas carregam diversas substâncias tóxicas que em contato com os tecidos do sistema respiratório podem produzir diversos efeitos negativos, como o câncer. Além disso, estas partículas sujam os materiais, diminuem a visibilidade, reduzem a segurança nas estradas e representam um desperdício de combustível.

imagem2