AUTOPISTA DIVULGA RESULTADO DAS DETONAÇÕES DE ROCHAS

Arteris
AUTOPISTA DIVULGA RESULTADO DAS DETONAÇÕES DE ROCHAS

 Autopista Litoral Sul tem realizado detonações necessárias à construção do Contorno Viário de Florianópolis. Atividade é monitorada para medir o nível de ruídos e vibrações

Entre os meses de março e junho foram realizadas oito detonações de rochas no trecho compreendido pelo KM 217 +820 ao KM 217+940 das obras de construção do Contorno Viário de Florianópolis. O local fica próximo ao limite entre os municípios de Palhoça e São José e cada uma das detonações é acompanhada por técnicos da concessionária que realizam um monitoramento detalhado por meio de um equipamento chamado sismógrafo – que mede o nível de ruído e das vibrações durante a atividade. O objetivo é verificar o impacto dessas detonações e a atividade faz parte do Subprograma de Controle, Minimização e Monitoramento de impactos provocados pela Construção dos Túneis e de Áreas de Desmonte de Rocha.

Além de todas as medidas de segurança tomadas, como a evacuação da área específica, o controle do som e do tremor permite a segurança dos moradores. Os ruídos e vibrações precisam estar dentro de um limite considerado seguro e o monitoramento garante isso.

Como é realizado o monitoramento

A medição é realizada a uma distância variável entre o ponto onde é instalado o sismógrafo e o ponto central de detonação. Nas oito detonações já realizadas, essa distância variou entre 230 e 1158 metros do ponto central. A metodologia consiste na observação de dados do Plano de Fogo (que contêm todos os detalhes sobre a atividade de detonação no local específico), da resistência de fragmentação da rocha, que neste caso é constituída por granito de estrutura maciça com poucas fraturas, e dos valores limites de ruído e vibração definidos na Norma ABNT NBR 9653/2005.

Cada detonação resulta em sismograma que é apresentado por meio de relatórios detalhados ao órgão ambiental responsável pelo licenciamento das obras, neste caso o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Até o momento as detonações ocorreram em oito ocasiões, nos dias 2, 9 e 30 de março, 6,15 e 27 de abril, 11 de maio e 1° de junho. O trabalho monitorado leva em conta o perímetro de segurança – de 500 metros – definido no subprograma de monitoramento de ruído e vibração de detonação do PBA e também os 700 metros, utilizados no procedimento de evacuação.

Quer saber mais?

As detonações dependem das condições do tempo e necessidade da engenharia e por isso as datas são variáveis Em caso de dúvidas sobre as detonações de rochas, a Autopista dispõe dos números (48) 3257-1619 e 3247-0692 (escritório do Contorno) e 0800 7251 771 (atendimento geral). Além disso, quem quiser saber mais sobre os resultados podem acompanhar as publicações neste espaço de notícias do site. A partir das próximas detonações, será disponibilizado um resumo do resultado da atividade.

Sismógrafo instalado para monitoramento de ruídos e vibrações
Trabalho de monitoramento é realizado em cada detonação