Programa ambiental do Contorno Viário monitora espécie de ave ameaçada de extinção

Arteris
Programa ambiental do Contorno Viário monitora espécie de ave ameaçada de extinção

Junto com as obras de implantação do Contorno Viário de Florianópolis, a Autopista Litoral Sul realiza uma série de monitoramentos de animais e plantas dentro dos programas ambientais coordenados pela equipe de Meio Ambiente. No decorrer dos monitoramentos, foi identificada na região uma espécie de ave muito relevante para Santa Catarina, é a Maria-catarinense, com nome científico de Hemitriccus kaempferi.

A ave, que tem característica de pequeno porte (com cerca de 10 cm de comprimento) teve seu primeiro registro feito no Salto Piraí, no município de Joinville, em 1929. É uma espécie endêmica da Mata Atlântica e considerada globalmente ameaçada de extinção pela IUCN (International Union for Conservation of Nature).

Para a conservação da espécie, uma das ações é a realização de censos nos locais onde ela vive, associados a um monitoramento de cada animal, com a colocação de anilhas de identificação individual. Esse é um dos trabalhos da Autopista por meio do Programa de Monitoramente de Fauna e Bioindicadores do Contorno Rodoviário de Florianópolis. Essa iniciativa viabiliza a verificação da permanência das espécies registradas durante a implantação da rodovia.

Para a coordenadora de Meio Ambiente da Autopista Litoral Sul, Daniela Bussmann, a biodiversidade brasileira é um patrimônio natural impossível de ser valorado e esforços para a conservação são de extrema importância. “Empreendimentos de grande porte são taxados como os principais causadores de impactos sobre a biota, porém, Programas Ambientais são executados para minimizar os efeitos negativos do desenvolvimento das obras”, destaca.