UDESC RECEBE EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS FEITAS POR INDÍGENAS DA REGIÃO DA GRANDE FLORIANÓPOLIS

Arteris
UDESC RECEBE EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS FEITAS POR INDÍGENAS DA REGIÃO DA GRANDE FLORIANÓPOLIS

Mostra, que acontecerá entre os dias 1º e 5 de outubro no hall da FAED, na UDESC, em Florianópolis, revela o cotidiano das comunidades Guarani da Grande Florianópolis e faz parte das ações do Plano Básico Ambiental Indígena do Contorno Viário de Florianópolis

A mostra fotográfica Aranduá traz imagens produzidas por indígenas de dez comunidades Guarani localizadas nos municípios de Palhoça, Biguaçu e Canelinha, na Grande Florianópolis, e é resultado de uma oficina de fotografia que aconteceu dentro e fora das comunidades no âmbito do processo de licenciamento ambiental do Contorno Rodoviário de Florianópolis, como uma das medidas de compensação relativas aos impactos da obra.

Na tarde de segunda-feira, 1º de outubro, para celebrar a abertura da exposição haverá atividades com os autores das 27 fotografias expostas, membros das comunidades e Ariel Ortega, diretor indígena do filme Bicicletas de Nhanderú, além da venda de artesanatos Guarani. A mostra é aberta ao público e ocorre entre os dias 1º e 5 de outubro no hall do Centro de Ciências Humanas e da Educação (FAED) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), em Florianópolis.

OLHAR INDÍGENA

Muitos dos não indígenas não sabem da existência dessas comunidades tão próximas de suas casas e da capital Florianópolis. Dessa forma, a exposição é um convite para passear um pouco pela cultura Guarani, quase sempre invisível aos olhos das sociedades urbanas contemporâneas. Aranduá significa conhecimento/sabedoria na língua Guarani e expressa  exatamente o que se objetiva repassar: o conhecimento sobre a presença desse povo que possui características únicas em sua organização social, cultura religião e língua, possibilitando o protagonismo dos Guarani como fotógrafos singulares, capturando as imagens de fragmentos dos seus modos de vida.

SERVIÇO

O que: Mostra Fotográfica Indígena Aranduá

Onde: Hall do Centro de Ciências Humanas e da Educação – FAED/UDESC / Av. Madre Benvenuta, 2007 – Itacorubi – Florianópolis – SC

Quando: Abertura no dia 1º/10, com diversas atividades entre 13h e 18h

Período de Exposição: Entre os dias 1º e 5 de outubro

Quanto: Gratuito

O Contorno Viário de Florianópolis é uma obra de responsabilidade da Arteris Litoral Sul e o processo de licenciamento ambiental da obra é conduzido pelo IBAMA e pela Funai. Os programas socioambientais que compõem o Plano Básico Ambiental Indígena são desenvolvidos pela MPB Engenharia.   

O Componente Indígena do Plano Básico Ambiental (CI-PBA) é um programa integrante do processo de Licenciamento Ambiental do Contorno Viário de Florianópolis que compreende *10 comunidades indígenas da região da Grande Florianópolis. As medidas que estão sendo colocadas em prática têm o objetivo de evitar, reduzir e compensar impactos socioambientais da implantação e operação da nova rodovia sobre estas comunidades indígenas na área de influência do empreendimento.

* Áreas indígenas que compõem o CI-PBA: M’biguaçu, Morro dos Cavalos, Amaral, Itanhaém, Massiambu, Praia de Fora , Cambirela, Amâncio, Canelinha e Praia de Fora 1.